::.. CARNAVAL 2007 - G.R.C.E.S. DRAGÕES DA REAL................................
FICHA TÉCNICA
Data:  18/02/2007
Ordem de entrada:  08
Enredo:  Aportei nesta avenida em busca do nosso seguro
Carnavalesco:  Marcelo Jorgge
Grupo:  Acesso
Classificação:  5º
Pontuação Total:  288,25
Nº de Componentes:  não consta
Nº de Alegorias :  ,
Nº de Alas :  não consta
Presidente:  Ronaldo da Silva
Diretor de Carnaval:  não consta
Diretoria de Harmonia:  não consta
Mestre de Bateria:  não consta
Intérprete:  Daniel Collete
Coreógrafo da Comissão de Frente:  não consta
Rainha de Bateria:  não consta
Mestre-Sala:  não consta
Porta-bandeira:  não consta
SAMBA-DE-ENREDO
VERSÃO ESTÚDIO

COMPOSITORES
Compositores:

Armênio Poesia/Chanel

O MEU VALOR É UM SENTIMENTO
LUZ DE UM IDEAL
É A SEGURANÇA DE UM NOVO TEMPO
SOU DRAGÕES DA REAL

UM BEM PODE SER IMORTAL
O COMÉRCIO NO DESERTO JÁ PREVIA
NASCI NA BABILÔNIA, RENASCI NO CARNAVAL
SOU A REPOSIÇÃO, A GARANTIA
LEVEI DINHEIRO E RISCO COM FENÍCIOS PELO MAR
AVANÇO NA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
EMBARCO TESOUROS DE PORTUGAL
UM PORTO SE ABRIU, OUÇO A PROCLAMAÇÃO
O BRASIL ME ACOLHE EM SUAS MÃOS
 
TÔ NAS CASAS E CARROS, NA VIDA
A SAÚDE TAMBÉM TEM O MEU VALOR
TÔ NA ARTE, EM JÓIAS COLORIDAS
SÓ NÃO POSSO GARANTIR O SEU AMOR

 
MAS DO QUE VALE A RIQUEZA
VIVER DE INCERTEZA NA INSEGURANÇA
PAGUE A FRANQUIA COM SEU CORAÇÃO
É CONSCIÊNCIA INVESTIR NA EDUCAÇÃO
É HORA DE SEMEAR FELICIDADE, PRESERVAR É  LIBERDADE
FAZ NOSSA NATUREZA FLORESCER
VAMOS COLHER O FUTURO
É O PLANETA SEGURO A NOS AGRADECER

 

SINOPSE DO ENREDO
Carnavalescos
Carnavalesco: Marcelo Jorge

APRESENTAÇÃO
A Escola de Samba Dragões da Real pisará forte na avenida para exaltar um aspecto de grande relevância social na Era Moderna: a segurança dos bens físicos e materiais, ou seja o seguro. Trataremos também do seguro de nosso planeta, que vem sendo degradado ao longo dos tempos pela falta de consciência do homem.

DESENVOLVIMENTO
Vem de longos tempos, há três séculos antes de Cristo, quando na Babilônia, cameleiros partiam pelo deserto em locais distantes para comercializar seus animais, muitos não resistindo às longas e pesadas caminhadas acabavam morrendo pelo caminho, despertando assim o interesse à necessidade de se ter o seguro dos camelos. Todos os cameleiros da época, firmaram um acordo, na qual pagariam para substituir o camelo caso a fatalidade ocorresse.

Com o aprimoramento da navegação, o princípio do seguro foi adotado entre os fenícios, cujas as embarcações navegavam através dos mares Egeu e Mediterrâneo. No Século XII da Era Cristã, surge uma nova forma  de seguro, o Contrato de Dinheiro e Risco Marítimo, formalizado através de assinatura de um documento por duas pessoas, sendo uma delas a que emprestava ao navegador quantia em dinheiro na valor do barco e das mercadorias transportadas. Se durante a viagem o barco sofresse alguma avaria, o dinheiro emprestado não era devolvido.

A preocupação com o transporte marítimo, tinha como causa interesses econômicos, pois o comércio na época era feito através dos mares. Com a Revolução Industrial no século XIX, a concepção de tempo e de valores se modificaram e surgiram diversas modalidades de seguro.

No Brasil, o seguro surge em 1808 com a chegada da Família Real, fugindo das imposições de Napoleão Bonaparte. A realeza portuguesa traz, além de escravos, a Biblioteca Real com mais de 60 mil livros, todo dinheiro do tesouro português, jóias da Coroa, obras de arte, objetos de museu e animais, amparado pelo seguro marítimo da época.

Assim que chegou ao Brasil D. João VI, decretou a abertura dos portos para as nações amigas de Portugal favorecendo assim o desenvolvimento do seguro, que por sua vez foi regulamentado com a Proclamação da República.
    
Com a chegada tardia da revolução das máquinas o seguro também se consolidou atrasado no país, o avanço tecnológico deu um grande salto, e com o crescimento das indústrias aumentou a população nos grandes centros, ampliando assim a produção da burguesia industrial da época.

Este retrato social promove o surgimento de várias modalidades de seguro. O seguro de automóveis, o seguro das casas, o seguro saúde, o seguro de vida, o seguro viagem, o seguro agricultura (principal fonte de riqueza do país que depende diretamente dos fenômenos climáticos), entre outros. Em 1986, foi criado pelo governo o seguro-desemprego, que ampara o trabalhador dispensado sem justa causa de seu trabalho anterior, desde que comprovado o recebimento de 6 salários consecutivos.

Desenvolvendo um enredo que retrata a seguridade do homem e de seus bens, não poderíamos deixar de abordar dois aspectos de grande relevância. O primeiro é que precisamos garantir o futuro seguro das nossas crianças, efetivando e investindo numa educação de boa qualidade para todos, independente de classe social ou raça. O segundo  é que precisamos garantir o seguro do nosso planeta, que vem mostrando o seu desgaste pela atitude irresponsável do homem, acarretando em tufões, maremotos,  tsunamis, vendavais, ciclones, efeito estufa pela destruição da camada de ozônio, entre outros fenômenos que vem acontecendo nos últimos anos.  

De nada adiantará assegurarmos nossos bens, se não pensarmos em zelar pelo futuro de nosso planeta. É preciso preservar a natureza e todo ecossistema, promover a paz entre as nações abdicando das armas químicas e destrutivas para garantirmos o seguro da vida de todo ser vivo do planeta.
FANTASIAS


No h contedo para este opo.



MAIS INFORMAÇÕES SOBRE G.R.C.E.S. DRAGÕES DA REAL
HISTÓRIA | CARNAVAIS | HINO | CURIOSIDADES

 


:: SASP - SOCIEDADE DOS AMANTES DO SAMBA PAULISTA ::
WWW.CARNAVALPAULISTANO.COM.BR
SASP - UMA ENTIDADE COM DIFERENCIAL !!

Copyright ©2000-2016 | Todos os Direitos Reservados