::.. CARNAVAL 2007 - S.E.S IMPERADOR DO IPIRANGA................................
FICHA TÉCNICA
Data:  16/02/2007
Ordem de entrada:  01
Enredo:  Siderurgia Forte Constrói um Mundo de Aço
Carnavalesco:  Anselmo Brito e Carlos Negri
Grupo:  Especial
Classificação:  14º
Pontuação Total:  282,25
Nº de Componentes:  não consta
Nº de Alegorias :  ,
Nº de Alas :  23
Presidente:  Carlos Lima Porfíro
Diretor de Carnaval:  não consta
Diretoria de Harmonia:  não consta
Mestre de Bateria:  Mestre Ninão
Intérprete:  Serginho KT
Coreógrafo da Comissão de Frente:  não consta
Rainha de Bateria:  Cris Cuozzo
Mestre-Sala:  Fabinho
Porta-bandeira:  Edna
SAMBA-DE-ENREDO
VERSÃO ESTÚDIO

COMPOSITORES
Compositores:

Cidinho Melodia/ Renato Pulga/ Beto Careca/ Chico T./ Beto Barril/ Sidnei

Meu canto é a voz do povo
Espalhando paz e amor
Construindo um Mundo novo
Sou IPIRANGA, sou IMPERADOR

Vem do céu
Dádiva do Criador
Que o solo assim gerou
Minérios de grande riqueza
Que no calor do fogo transformou
Viajei pelo tempo e pude encontrar
Nos primórdios da história
A sua utilização
Batalhas marcaram civilizações
Evoluções que facilitaram a humanidade
E hoje encanta o Carnaval dessa cidade

Atravessou o mar
Em meu Brasil chegou
Impulsionando a Indústria
O Aço meu país modernizou

Foi pelas bandas de Minas
No sonho do ouro
Surgiu um ideal
Nasceu a Cidade do Aço
O nosso tesouro, orgulho nacional
É . . . é força na siderurgia
É . . . essencial em nossas vidas
Vamos reciclar
E a natureza preservar
Meu samba hoje vem te coroar

 

SINOPSE DO ENREDO
Carnavalescos
Carnavalesco: Anselmo Brito e Carlos Negri

JUSTIFICATIVA:

Para o carnaval de 2007 a S.E.S. Imperador do Ipiranga traz para a passarela do samba a trajetória do ferro. Desde a sua origem e aperfeiçoamento o ferro teve grandes desafios e conquistas para humanidade, beneficiando a era moderna com o surgimento do aço que se tornou importante no dia a dia. Automóveis, aviões, navios, linhas de transmissão de energia elétrica, tubulações de água, redes integradas de telefonia etc, são feitos de aço.

Nas casas o aço está presente em larga escala, dos talheres às panelas, passando pelos vergalhões que garantem a estabilidade das construções.

Há ainda, a presença direta nos bens duráveis, pois o aço é vital na construção das máquinas e equipamentos que tornam possível a humanidade usufruir dos benefícios e facilidades conferidos pelo bens de consumo moderno.

Desta maneira a nossa escola apresenta este enredo fazendo uma longa e surpreendente viagem ao tempo, passando por diversos períodos da história e por várias civilizações e tribos. Sendo assim fica inconcebível qualquer tentativa de imaginar o mundo moderno sem a presença de um grama de aço, e pode-se dizer que o poderio econômico de uma nação está direta e intimamente ligado com o consumo percapita de aço.

SINOPSE

O ferro (do latim ferrum ) é um elemento químico , símbolo Fe , de número atômico 26 (26 prótons e 26 elétrons ) e massa atómica 56 u . À temperatura ambiente, o ferro encontra-se no estado sólido . É extraído da natureza sob a forma de minério de ferro que, depois de passado para o estágio de ferro-gusa , através de processos de transformação, é usado na forma de lingotes. Adicionando-se carbono dá-se origem a várias formas de aço .

Tão longe quanto se remonta no tempo, os vestígios do homem são marcados por armas, por instrumentos ou pelo resultado da queima do fogo.

Cerca de dez a vinte mil anos antes da nossa era, a retirada dos glaciares teve como conseqüência na Europa o estabelecimento do clima temperado.

Enquanto desapareciam os animais ferozes, os homens começaram estabelecer-se fora das grutas e das cavernas, a praticar a agricultura e a domesticar animais. O período correspondente, chamado período ou nova idade da Pedra é aquela em que se constituíram as básicas técnicas das nossas civilizações.

Muitas histórias fabulosas se contaram ao longo dos séculos, descrevendo como o ferro meteórico caia na terra enviada dos céus como uma dádiva dos deuses ao homem. Não é, no entanto, necessário nenhuma explicação romântica para a descoberta do ferro, se atendermos a facilidade com que se reduz o ferro a partir dos seus minérios. Diz-se mesmo que o primeiro ferro produzido foi obra do acaso, quando pedaços de minérios de ferro foram usados em vez de pedras nas fogueiras, nos banquetes onde o fogo era mantido tempo suficiente para permitir a redução. Seguiu-se a observação que as mais altas temperaturas obtidas quando o vento soprava, produziam um melhor material. Tentou-se então conseguir através de várias artimanhas uma rajada de vento artificial, até se conseguir criar uma fornalha de fundição.

Desde tempos pré-históricos que os utensílios de ferro têm vindo a ser usados. Descobriam-se mesmo alguns em explorações arqueológicas na construção da pirâmide de Gizé, em adornos como brincos, anéis e colares objetos estes udados pelos Egípicios.

Na Grécia a partir do século XII A.C. como em outras partes do mundo antigo, os objetos metálicos foram fabricados em ferro e estes eram espadas, facas couraças estas usadas para batalhas. Pouco tempo depois da queda do Império Romano, a produção de ferro desenvolveu-se consideravelmente, beneficiando todas as civilizações antigas entre elas os povos medievais que criaram armaduras e escudos que eram usados como objetos de defesa pessoal nas famosas cruzadas que tinha como objetivo conquistar novos continentes.

A grande mudança só ocorreu em 1856, quando descobriu que a intensidade de carbono produziria o aço sendo este, um metal mais flexível de maior resistência.

Podemos observar que foram muitos os povos e tribos que se beneficiaram com o uso deste minerio tão importante para a humanidade.

Entre eles também estão os Chineses, povos estes de tamanha capacidade que criaram a primeira Siderurgia. Sidur e uma palavra grega que significa astro, associada a história da descoberta do minério de ferro.

Outra grande conquista foi a sustituição das grandes fornalhas pelos altos-fornos que é usado até hoje. As temperaturas atingidas nesses fornos eram ainda maiores do que permitia a maior absorção de carbono e do carvão vegetal e isso tornava o ferro e as ligas de aços mais duras e resistentes.

Muitas foram as ferramentas fabricadas para beneficiar a humanidade entre elas e que não podemos deixar de citar que foram as enchadas, machados e garfor etc, que contribuiram com o homem do campo, fortalecendo assim a agricultura.

Surge a revolução industrial iniciada na Inglaterra, no final do século XVIII que tornava a produção de ferro ainda mais importante para a humanidade.

Nesse período, as comunidades agrárias e rurais começavam a perder força para sociedades urbanas e mecanizadas.

Enfim a siderurgia e esse minério tão importante chega ao Brasil. Quando as terras brasileiras foram descobertas, as práticas mercantilistas imperavam na Europa. Os portugueses chegaram ao Brasil como a esperança da extração de metais como ouro, prata e bronze, no entanto, nenhum tipo de metal e nem mesmo o ferro foi encontrado em um primeiro momento. Os poucos ferreiros que vieram para o Brasil utilizavam o ferro originário da Europa para produzir os instrumentos usados na lavoura.

Em 1554, o padre jesuíta Jose de Anchieta relatou em um informe ao rei de Portugal, a existência de depósito de prata e minério de ferro no interior da capitania de São Vicente hoje atual estado de São Paulo.

Quem primeiro trabalhou na redução desse minério de ferro foi Afonso Sardinha em 1857 e ele descobriu magnetita na atual região de Sorocaba no interior de São Paulo e iniciou a produção de ferro a partir da redução do minério, e esta é a primeira fábrica de ferro que se tem notícias no Brasil.

Foi a descoberta de ouro na atual Estado de Minas Gerais que desencadeou um novo estimulo a Siderurgia no Brasil.

O cenário de permanente dependência brasileira de produtos siderúrgicos importados começou a mudar com a ascenção de Getúlio Vargas ao poder.

Era uma de suas metas fazer com que o a indústria de base brasileira crescesse e se nacionalizasse.

Um dos grandes exemplos desse esforço foi a inauguração em 1946 no munícipio de Volta Redonda (RJ), da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

As primeiras décadas do século XX foram de avanços para a siderurgia brasileira impulsionados pelo surto industrial verificando entre 1917 e 1980 o mais importante, a criação na cidade de Sabará (MG) da Companhia Siderurgica Mineira em 1921 a (CSBM) Companhia Siderugica Belgo Mineira.

E desta maneira o aço e o ferro segue a sua tragetória de glórias e conquistas estando presente em nosso dia a dia.

Hoje é com muito orgulho que a nossa comunidade da S.E.S. Imperador do Ipiranga coroa todas as siderurgias e as pessoas que fazem parte dela, pois o aço transporta, constrói, emprega, traz divisa para o país e impulsiona o desenvolvimento e fortalece a independência e a econômia, melhorando assim a qualidade de vida de todos nós.

O aço nas utilidades domésticas

O aço lava, passa, cozinha e congela. É o aço dos fogões, dos aquecedores, dos refrigeradores, das máquinas de lavar, dos talheres e utensílios domésticos.
O aço emprega milhares de brasileiros e traz milhões de dólares em divisas.
O aço brasileiro impulsiona o desenvolvimento e fortalece a independência econômica.

O aço no transporte

É o aço dos carros, caminhões, ônibus, trens, metrôs, navios, bicicletas e motocicletas.

O aço brasileiro transporta a população, interliga cidades e conduz as cargas.

Distribui riquezas e espalha o progresso.

O aço na construção civil

O aço dá segurança, evita desperdício.
Dá sustentação e reforça as estruturas.
O aço protege as pessoas e constrói moradias.
É essencial às indústrias e à montagem da infra-estrutura nacional.
Está presente em pontes, viadutos, elevadores, revestimentos, acabamentos e coberturas.

O aço em embalagens e recipiente

As embalagens de aço contribuem para o desenvolvimento da indústria de alimentos.
Protegem os produtos dos microorganismos e evitam a deterioração dos alimentos.
Possibilitam o melhor aproveitamento das safras agrícolas.
Botijões para gás de cozinha e cilindros para gases industriais são feitos de aço.
Tintas e outros produtos químicos são embalados com folhas metálicas.

O aço na energia

É o aço das hidrelétricas, termelétricas e nucleares.
O aço das torres de transmissão, dos transformadores e dos cabos elétricos.
É o aço das plataformas, tubulações e equipamentos de prospecção e extração de petróleo.
É o aço das perfuratrizes, esteiras e caçambas das minas de carvão.

O aço na agricultura

O Brasil prepara a terra com o aço dos arados. Semeia com o aço dos semeadores.
Cerca com arame farpado.
Colhe com o aço das ceifadeiras e colheitadeiras.
Armazena com o aço dos silos e graneleiros.
Transporta com o aço dos caminhões, trens e navios.

Aço e meio ambiente

Produzir mais aço com menos insumos e matérias-primas é prioridade da siderurgia brasileira. Os programas de conservação de energia, de recirculação de águas e de reciclagem do aço e co-produtos tem aumentado a eco-eficiência do setor.

O aço é hoje o produto mais reciclável e mais reciclado do mundo.

FANTASIAS


No h contedo para este opo.



MAIS INFORMAÇÕES SOBRE S.E.S IMPERADOR DO IPIRANGA
HISTÓRIA | CARNAVAIS | HINO | CURIOSIDADES

 


:: SASP - SOCIEDADE DOS AMANTES DO SAMBA PAULISTA ::
WWW.CARNAVALPAULISTANO.COM.BR
SASP - UMA ENTIDADE COM DIFERENCIAL !!

Copyright ©2000-2016 | Todos os Direitos Reservados